Monday, 30 November 2015

Saí com o Afonso! | First outing with Afonso!



Sozinha! Ou melhor, só os dois! E deixem-me que vos diga, foi uma aventura!
Tinha combinado ir à Praça São João Batista, ter com a minha irmã. Íamos à feira do livro de Natal e aproveitávamos para almoçar juntas.

Tá bem, tá!

Começo só por dizer que as manhãs cá por casa têm sido assim uma coisa jeitosa! Tendo combinado às 13 horas com a minha irmã, já estava a ver que não ia conseguir, quando ela me liga antes das 12:30 a dizer que já lá está! Carambolas, mais ansiosa fico para me conseguir despachar!

E o Afonso a cantar uma ária lindíssima (se ele lá há eufemismo, é este!) , que só tinha intervalo se a espreguiçadeira andasse a passear a voar pela casa…

E eu, por um lado a pensar: “Mais vale ligar a cancelar e estar mas é quietinha…”, e por outro: “Não, não, têm que sair! O Afonso vai gostar de andar no carrinho!”

Felizmente, tinha razão, e assim e o carrinho começou a tremer que nem um martelo pneumático, o rapaz adormeceu. Instantâneo. Nem vou arrumar a alcofa do carrinho, porque a próxima vez que as cólicas atacarem, vou dar voltas ao prédio.

Eu tinha decidido ir sozinha com o Afonso e mesmo com ofertas de boleias, mantive-me firme e fui de metro.

Um conselho se nunca empurraram um carrinho de bebé, principalmente se o caminho envolver escadas: esperem por uma saída a três!! O pai fez falta!

Por outro lado, consegui ultrapassar os obstáculos físicos todos, por isso agora também já estou vacinada. E menos flácida, quero eu acreditar.

Bem, lá consigo chegar ao metro e claro, mas é claro, que a máquina dos bilhetes tinha que ser do outro lado! E com um carrinho de bebé, não dá para atravessar pela linha do metro, tem-se mesmo que dar a volta toda pelas rampas, com o metro quase a chegar. Mas consegui! (Com mais um jogging pelo meio, hã!).

É nesta altura que me apercebo que não tenho telemóvel. Ah lindo! Primeira saída do Afonso e não vou ter foto nenhuma!

Isso, e ainda tinha que encontrar a minha irmã. Mas não há problema, pensei, ela estava quase sem bateria, por isso combinámos na praça.

Exato! Chegamos e nem vê-la. O que vale é que o Afonso continuava feliz da vida, a caminho do sétimo sono. Corri tudo de uma ponta à outra, várias vezes e nada. E eu sem forma de a contactar…

Mas espera lá, isto está cheio de miúdos, é só pedir a um se me deixa fazer uma chamada, que isto agora é tudo tarifários certos!

Pois, sim, mas era preciso saber de cor o número e eu só sei os dois primeiros e os dois últimos. Antes de começar a jogar às probabilidades, decidi antes jogar no euromilhões, enquanto definia a próxima estratégia.

Calculei que a minha irmã tivesse ido para casa… A feira do livro estava fechada para almoço, mas pensei que já não faltasse muito para abrir, e assim, como assim, já lá estava…

Ainda dei mais uma volta a ver se via a desaparecida, mas acabei por descer ao Pingo Doce, que a fome já apertava e sozinha não estava para comer num restaurante, que não tem graça. Fiz algumas comprinhas, comi na pastelaria e vá de voltar para cima.

A feira já tinha aberto! Viva! Mas fiquei desiludida. Costumo encontrar sempre ótimas pechinchas, mas desta vez, só comprei mesmo um livrinho e as prendas que faltavam, népias!

Mas seja, valeu pelo passeio. Mesmo que as coisas tenham corrido um bocadinho ao contrário! Assim, como assim, eu só queria um bocadinho de independência, depois de tantos meses a sentir-me como se tivesse 12 anos, a precisar de ajuda para tudo! E apanhar ar!

Quanto ao Afonso, eu diria que gostou do passeio. Dormiu o tempo todo.


Alone! Or rather, just the two of us! And let me tell you, it was an adventure!
I was going to meet my sister. We were supposed to go to a Christmas book fair and get lunch together.

Right…

I start by saying that morning was being rather loud here at home! Having planned to meet my sister at 1 pm, I was already running late when she calls me before 12:30 saying that she’s already there! Jeez, the more anxious I get!
And Afonso kept singing a beautiful aria (if it's there understatement, this is it!).

So there I was, on the one hand thinking, "Better call to cancel and just stay at home ..." and on the other, "No, no, you have to go out! Alfonso will enjoy riding in the stroller!"

Fortunately, I was right, and as soon as the stroller began to tremble like a jackhammer, the boy fell asleep. Instantly. I won’t even take the carrycot out of the stroller, because the next time he’s colicky, I’ll go walk around the building. Again and again.

I had decided to go alone with Afonso and even with carpooling offers, I remained firm and went with it.

A word of advice if you’ve never pushed a stroller, especially if the walk involve stairs: wait for an outing with dad!! He was missed!

On the other hand, I managed to overcome all the physical obstacles, so now I’m ready for anything. And less flaccid, I want to believe.

Well, I eventually reached the metro station, but of course, the ticket machine had to be on the other side! And with a stroller, you can’t cross the line of the metro (surface metro), you have to go all around, through the ramps, with the train almost upon us. But I did it! (With a little jogging!).

This is when I realize that I have no phone. Oh great! First outing with Afonso and I won’t have any photos!

That, and I still had to find my sister. It's okay, I thought, she was almost out of battery, so we agreed to meet on the square. I’ll see her.

Exactly! We arrived and didn’t see her. Luckily, Afonso was sound asleep. I walked everywhere from edge to edge several times and nothing. And no way to contact her...

But wait, the place is full of kids, just ask one to let me make a call!

Great idea, yes, but I had to know by heart the number and I only know the first and last two numbers.

I figured my sister had gone home... The book fair was closed for lunch, but I thought it wouldn’t take much time to open, and so, since I was already there...

I still gave another round to the plaza looking for her, but ended up going to the grocery store. Hunger was already very present and I didn’t want to eat in a restaurant all by myself, that's no fun. I made some grocery shoping and ate something there.

The fair had opened! Yeah! But I was disappointed. I usually find great bargains, but this time, I just bought a little book, but none of the gifts I need!

It was worth it, though. Even if things have gone a bit backwards! After all, I just wanted a bit of independence, after so many months feeling like I was 12 years old, in need of help for everything!


As for Afonso, I would say he liked the ride. He slept through it all.

Saturday, 28 November 2015

Há um mês que somos três | We’ve been three for a month



Ainda não parece bem real. Depois de tanto tempo que fomos dois, agora somos três. E já passou um mês!

Decidimos ter um bebé no final do ano passado. Nunca há uma altura perfeita para tomar esta decisão. Foi uma coisa que sempre falámos e tivemos como certa, mas sem definir um quando…

Mas terminado o prazo do meu implante, achámos que estava na altura.
Não tínhamos, nem temos, as melhores condições financeiras, mas temos o suficiente e acima de tudo, temos as condições afetivas!

Foi pim pam pum! Tirei o implante em janeiro e engravidámos em fevereiro. Engravidámos, sim! A mim não me faz espécie incluir o homem neste verbo. Foi uma decisão conjunta e foi feito e vivido em conjunto, por isso digo engravidámos!

O tempo é mesmo relativo… Ainda há pouco me queixava que nunca mais passava e que queria o Afonso nos braços… Agora parece que passou a correr! Que ainda ontem soube que estava grávida, que fizemos a primeira ecografia, que ouvimos o coraçãozinho do nosso príncipe a bater pela primeira vez, que soubemos que era um menino…

E, de repente, já aqui está!

Parte de nós.

Tão lindo e perfeito.

E já com um mês!

Imaginámos tantas vezes como seria o nosso filho. O meu nariz ou teu? Será loiro como tu ou carequinha como eu? Terá a veia despassarada da mãe? A empatia do pai?

Agora que aqui está, não há comparação possível com o bebé imaginado. É aquilo que sempre seria. Não podia ser de outra forma. Sinto como se sempre o tivesse conhecido e agora me estivesse apenas a relembrar. Esquisito, não?

E já não somos dois, somos três! E parece que sempre fomos…


It doesn’t seem quite real yet. After all this time that we were two, now we are three. And it has been a whole month!

We decided to have a baby late last year. There is never a perfect time to make this decision. It was something that we always talked about and we had for granted, but without defining a time...

But with the deadline of my birth control implant approaching, we felt it was time.

We didn’t have (nor do we have it now) the best financial situation, but we have enough and foremost, we have the emotional conditions!

It was pim pam pum! I took the implant out in January and we got pregnant in February. Yes, WE got pregnant! I really don’t mind to include the man in this verb. It was a joint decision and was done and lived together, so I say WE!

Time really is relative... Not long ago I was complaining that I wanted Afonso in my arms... Now it seems that the pregnancy went by super fast! It seems that only yesterday we found out I was pregnant, we did the first ultrasound, we heard the little heart of our Prince for the first time, we found out he was a boy...

And suddenly, here he is!

Part of us.

So beautiful and perfect.

And already one month old!

So often did we imagined how our son would be. My nose or yours? Will he be blond like you or bald like me? Will he have his mother's clumsiness? His father’s empathy?

Now that he’s here, there is no comparison with the imagined baby. He is what he would always be. He could not be otherwise. I feel as if I had always known him and now I’m just remembering. Bizarre, right?


And we are no longer two, we are three! And it seems that we have always been...

Thursday, 26 November 2015

Obrigada! :)

O meu Afonso tem recebido muitas prendinhas lindas, que chegam cheias de carinho! 
Mas esta tinha mesmo que partilhar! Adoro tudo o que é feito à mão e estas prendas estão um mimo, não estão?



Obrigada, Moniquinha! :)

Wednesday, 25 November 2015

Receita: Muesli cru | Recipe: Raw muesli



Desde que me foi diagnosticada a diabetes gestacional, deixei de comer as barrinhas de cereais caseiras, por causa do mel.

Assim, virei-me para o muesli, mas também sem adicionar mel, claro, fazendo muesli cru.

É do mais simples que há e eu adoro comer com o iogurte natural de manhã.

É mesmo aquela coisa que não me subia nada a glicémia, por isso podia comer com gosto e descansada. Agora como mesmo por gosto. :)

Ora então, os ingredientes e a proporção depende dos gostos pessoas e limitações de saúde. Eu por exemplo, não podia por uvas passas ou tâmaras, porque me subiam a glicémia, por isso utilizava arandos, que para além de docinhos e saborosos, são amigos da diabetes. Adoro arandos, por isso, mesmo agora que já não estou com diabetes, é o que utilizo mais.

O muesli pode ter:

- Frutos secos: avelãs, nozes, amêndoas… Enfim, é só escolher e combinar ;P
- Aveia
- Frutas secas: tâmaras, arandos, uvas passas…
- Frutas desidratadas: maçã, banana, morangos…
- Sementes: sésamo, linhaça, girassol, chia…

Enfim, é só ter imaginação!

Os frutos secos eu trituro um bocadinho, mas o resto só misturo. Não tenho medidas, porque vai depender mesmo do gosto e eu faço a olho.

É só armazenar numa caixa de plástico ou vidro e ir desfrutando.

Fica ótimo com iogurte e pode-se também juntar fruta fresca e mel para um toque especial!


Since I was diagnosed with gestational diabetes, I stopped eating the homemade cereals bars due to the honey.

So I turned to the muesli, but without adding honey, of course, making raw muesli.

It’s the simplest thing there is and I love to eat with yogurt in the morning.

The best thing is that it doesn’t raise my blood sugar, so I can eat it with joy and unconcerned.

Now, the ingredients and proportions depends on the taste and health limitations. I, for one, cannot add raisins or dates, due to the diabetes, so I use cranberries, which in addition to being sweet and tasty, are diabetes friendly.

Muesli can have:

- Nuts: hazelnuts, walnuts, almonds... Anything, just choose and mix ;P
- Oats
- Dried fruits: dates, cranberries, raisins...
- Dehydrated fruits: apples, bananas, strawberries...
- Seeds: sesame, linseed, sunflower, chia...

Just use your imagination!

I grind the nuts slightly, and then just mix the other ingredients. I don’t give you any measurements because it will depend on your taste and I just wing it.

After mixing, you just store it in a plastic or glass container and enjoy it.

It tastes great with yogurt and you can also join fresh fruit and honey for a special touch!

Sunday, 22 November 2015

Letras 3D | 3D letters



Como já sabem, eu gosto de reutilizar materiais. E evitar comprar coisas que possa fazer em casa.

Ora tinha (e ainda tenho…) bastante cartão em casa de coisas que se compraram para o Afonso, como a cama de grades.

E andava a namorar aquelas letras 3D grandes que se vendem nas lojas de decoração.

Vai daí, decidi experimentar fazê-las eu.

Também querem experimentar?

As you know, I like to reuse materials. And avoid buying things I can make myself at home.

Now, I had (and still have ...) many cardboard boxes of things that were bought for Afonso, such as the crib.

And I had my eye on those big 3D letters that are sold in decoration stores.

Therefore, I decided to try making them myself.

Do you want to try?

Material:
- Cartão;
- Jornais;
- Rolos de papel higiénico;
- Régua;
- Lápis
- Cola líquida;
- Cola branca;
- Água;
- Pinceis;
- Tintas.

Material:
- Cardboard;
- Newspapers;
- Toilet paper rolls;
- Ruler;
- Pencil;
- Liquid glue;
- White glue;
- Water;
- Brush;
- Paint.

Instruções:
Instructions:
-Desenhar ou imprimir as letras desejadas no tamanho escolhido e cortá-las;
- Draw or print the letters you want in the chosen size and cut them out;



- Passar para o cartão e recortá-las;
- Trace them onto the cardboard and cut;


- Cortar argolas de papel higiénico (eu fiz com 2,5 cm, mas depende da grossura desejada);
- Cut toilet paper rings (I made them 2.5 cm, but it depends on the desired thickness);




- Colar as argolas numa face de cada letra e depois a segunda face por cima (assim uma espécie de sanduiche);
- Glue the rings on one side of each letter and then cover with the second side (as kind of sandwich);





- Cortar folhas de jornal em tirinhas;
- Cut sheets of newspaper into strips;


- Passar as tiras de jornal por cola branca diluída com um pouco de água. Escorrer com os dedos e ir forrando cada letra;
- Dip the paper strips in white glue diluted with a little water. Drain with your fingers and line each letter;



- Deixar secar;
- Let them dry;


- Pintar de branco;
- Paint white;


- Depois da tinta branca seca, pode-se pintar/decorar a gosto (eu optei por deixar só assim, porque as paredes do quarto do Afonso já têm muita cor).
- After the white paint dry, you can paint/decorate them to taste (I chose to leave them just like that, because the walls of Afonso bedroom already have a lot of color).

Já no quarto, colei-as com bostik e ficou assim.
In the bedroom, I hanged them with Bostik.



Eu gosto, e vocês?
I like it, how about you?


P.s. A ideia de usar os rolos de papel higiénico para fazer o volume não é minha. Já tinha visto há algum tempo pela internet e guardado na cabeça, mas agora não sei de onde a tirei…


P.s. The idea of ​​using the toilet rolls to make the volume is not mine. I had seen it some time ago over the Internet and memorized it, but now don’t know where I took the idea from...

Friday, 20 November 2015

Vídeos sensoriais para recém-nascidos | Sensory videos for babies



Hoje tenho uma dica de topo! Acreditem, mamãs de bebés pequeninos, é uma salvação para a nossa sanidade mental, quando parece que o bebé não para de chorar há horas (mesmo que tenha começado há 10 minutos!), quando já lhe mudaram a fralda, e deram de mamar e puseram a arrotar e fizeram tudo aquilo que puderam pensar…

Vídeos sensoriais para bebés!

Palavra de honra! Principalmente os que têm barulho de fundo semelhante ao útero (com batimentos de coração e ruído branco e tal).

Procurem no Youtube (baby sensory) que há vários e depois digam-me de vossa justiça.

Podem aproveitar para por o bebé no colo do papá e derreterem-se com a ternura antes de aproveitarem para irem arrumar a cozinha, dobrar lençóis, aspirar a sala… (exato, exato!) – leia-se, DORMIR!



Today I have a top tip! Believe me, moms of little babies, is a lifeline for our sanity when it seems that the baby won’t stop crying for hours (even if it has begun 10 minutes ago!), when you’ve changed his diaper, and fed him and put him to burp and did everything you could think of...

Sensory videos for babies!

On my honor! Especially those with background noise similar to the uterus (with heart beat and white noise and such).

Look for them on Youtube (baby sensory) and give me your feedback.


You can put the baby in daddy's lap and melt with tenderness before heading to go clean the kitchen, folding sheets, vacuum the room (right, right!) – please read, SLEEP!

Wednesday, 18 November 2015

Ao pai | To daddy


Obrigada por me teres feito sempre sentir sexy e bonita durante a gravidez.

Mesmo quando tinha olheiras até ao chão (achas mesmo que fico bonita com olheiras, ou enganas-me bem?).

Mesmo quando tinha patas de elefante (que eu ainda por cima fazia questão de tos pôr debaixo do nariz: “olha para os meus pés! Olha bem para os meus pés!!”).

Mesmo quando fazia mais barulho que uma locomotiva de 1880 para me levantar do sofá.

Obrigada por aturares o meu feitiozinho durante a gravidez. E o furacão que passou nesta casa para que eu pudesse fazer o ninho. E as arrumações às 2 da manhã.

Eu sei que às vezes não sou fácil. E acho que tenho sempre razão. Mas tens que concordar, fiz um esforço. E as tuas ideias foram muito boas, ainda bem que dei o braço a torcer. E obrigada pelas idas ao Leroy Merlin (acho que o record foram 4 num dia).

Obrigada pelos miminhos que me foste fazendo (e que já fazias antes, eu sei, sou uma sortuda!)

Também tentei melhorar e apreciar somente, sem perguntar quanto dinheiro tinhas gasto… (ai, que asquerosa!) Não é fácil e nem sempre consegui, mas obrigada por continuares a tentar. E por mostrares que me conheces tão bem, que para além de descobrires aquelas pequenas coisas que sabes que vou adorar, também és capaz de aguentar a minha primeira reação parva até eu refletir e ficar realmente agradecida (e derretida).

Obrigada por teres ficado comigo durante o trabalho de parto.

Eu sabia que não desmaiavas! Os teus mimos ajudaram muito. O amor que te vi nos olhos, ajudou mais.

(Só teria dispensado o relato do que se passava nas outras salas de parto e de como o meu estava a ser muito mais fácil. Obrigadinho, caro senhor, o próximo é seu!)

Obrigada pelo primeiro olhar que deitaste ao nosso filho e com que me brindaste quando os nossos olhos se cruzaram outra vez.

Ai que lamechas! Mas é verdade. Nunca vi um olhar assim. Nunca pensei que pudesse caber tanta coisa num olhar. Tanta paixão, amor, dedicação.

Obrigada pelas vezes que te tens “zangado” comigo.

Para descansar... Para endireitar as costas… Mesmo que às vezes leves uma resposta torta, eu sei que é porque te preocupas e fico agradecida (mesmo que não pareça).

Obrigada pelas vezes que te levantas de noite para embalar, pôr soro, tapar o nosso Afonso…

Mesmo quando te tens que levantar às 7 horas para ir trabalhar. És o meu herói.

Obrigada por nos amares.

E por o demonstrares todos os dias!



Thank you for always making me feel sexy and beautiful during pregnancy.

Even when I had dark circles to the ground (do you really think I'm beautiful with dark circles, or do you just deceive me well?).

Even when I had elephant legs (I even insisted to put them under your nose, "look at my feet! Just look at my feet!!").

Even when I made more noise than a 1880’s locomotive to get up from the couch.

Thank you for putting up with my temper during pregnancy. And the hurricane that passed through this house so I could make the nest. And the 2 am clean ups.

I know I’m not easy, sometimes. And I think I'm always right. But you have to agree, I made an effort. And your ideas were very good, I'm glad I’ve listen to you. And thanks for all the trips to Leroy Merlin (I believe the record was 4 times in one day).

Thank you for spoiling me (you already did it before, I know, I'm a lucky girl!)

I also tried to improve and just enjoy it, without asking how much money you spent ... (ouch, I’m terrible!). It is not easy and I couldn’t always do it, but thank you for keep trying. And it shows that you know me so well that in addition to discovering those little things that you know I’ll love, you're also able to take my first reaction so well until I reflect and can be really grateful.

Thank you for having stayed with me during labor.

I knew you wouldn’t pass out! Your pampering helped a lot. The love I saw in your eyes, helped even more.

(I would only have go without the report of what was happening in the other delivery rooms and how mine was going much easier. Thanks a lot, dear sir, the next is yours!)

Thank you for the first look that you threw our son and then me when our eyes met again.

How lame! But it's true. I've never seen a look like that. I never thought I could fit so much a look. Such passion, love, dedication.

Thank you for the times that you got "angry" with me.

To rest... to straighten my back... Even if sometimes I gave a bad response, I know it's because you care and I'm grateful (even if it doesn’t look like it).

Thank you for the times you get up that night to rock our Afonso, clean his nose, cover him...

Even when you have to get up at 7 am to go to work. You are my hero.

Thank you for loving us.


And showing it every day!

Tuesday, 17 November 2015

Receita: Iogurte caseiro / Recipe: homemade yogurt




Não vos trago uma receita original, mas quero apenas divulgar aquela que considero a melhor receita de iogurte natural caseiro. E também a mais fácil e económica!

Podem encontrá-la aqui, no blog da Luarte.

É extremamente simples e desde que a comecei a fazer, que não como outro iogurte! 

Basta:
- Ferver um litro de leite e transferi-lo para um recipiente de vidro ou cerâmica;
- Deixar arrefecer ligeiramente (até suportarmos bem espetar lá um dedo);
- Juntar duas colheres de chá de iogurte e mexer;
- Tapar com um prato e envolver numa manta polar;
- Deixá-lo a fermentar durante cerca de 10/12 horas, dentro do forno.

Simples, não é? A Luarte explica como passar depois daqui para iogurte grego, mas eu por enquanto tem-me bastado o iogurte simples.

Antigamente, não gostava de iogurtes naturais, quaisquer que fossem e ou comia iogurtes de aroma, ou juntava açúcar aos naturais. Claro está que com a diabetes gestacional deixei de poder comer estes iogurtes.

Foi o incentivo certo para os passar a fazer em casa.

E o paladar é mesmo uma coisa que se educa. Agora, adoro iogurte natural e os outros parecem-me muito doces. O homem cá da casa ainda não se rendeu ao sabor natural. Eu até podia fazer para ele iogurte açucarado ou com algum sabor, mas o que optamos por fazer é ele juntar uma colher ou duas de compota caseira, que eu acabo sempre por ter feita. Assim, come iogurte de pêssego, pêra, abóbora, morangos, etc… Enfim, o que lhe apetecer e houver disponível.

Pronto, portanto, de sabor, confiem que fica muito bom. Agora a nível económico é uma diferença que nem queiram saber! :)

Para a primeira porção de iogurte, há que usar um de compra. Mas acaba aí! As próximas são sempre feitas a partir do iogurte que estava feito, ou utilizando duas colheres de iogurte, ou mesmo apenas o soro que se liberta do mesmo. Assim, para fazer uma porção de iogurte, apenas gasto o valor de um pacote de leite gordo. E já usei de várias marcas e tanto funcionam os mais caros como os de marca branca.

Agora valores, que assim é que se percebe a verdadeira poupança!

Com um litro de leite gordo fiz 935 gramas de iogurte (perde-se sempre qualquer coisa nas natas e assim…)

Ora os iogurtes de compra têm 125 gramas. 935 a dividir por 125 dá 7,48, ou seja, pouco mais que 7 iogurtes. A partir de um só litro de leite gordo, repito.

Os iogurtes naturais mais baratos rondam os 15/20 cêntimos por iogurte. Ora utilizando um litro de leite gordo de aproximadamente 0,7 €, ficamos com iogurtes a 10 cêntimos cada! E sem o desperdício das embalagens!

É certo que não estou a contabilizar o gasto do gás para ferver o leite, mas o valor deve ser insignificante. Já com o forno, não gasto nada, porque não é mesmo necessário ligá-lo para que o iogurte fermente. Basta que esteja bem enroladinho na manta.

Bom apetite e boas poupanças!


I don’t bring you an original recipe, but I just want to share what I consider to be the best homemade yogurt recipe. And also the easiest and most inexpensive!

You can find it here, in Luarte’s blog.

It’s extremely simple, and since I started making them, I haven’t eaten another yogurt!

Simply:
- Boil a litre of milk and transfer it to a glass or ceramic container;
- Leave to slightly cool (until you can endure sticking a finger there);
- Add two teaspoons of yogurt and stir;
- Cover with a plate and involve in a fleece blanket;
- Leave it to ferment for about 10-12 hours inside the oven.

Simple, isn´t it? Luarte explains how to go from this greek yogurt, but for now the plain yogurt has sufficed for me.

In the old days, I didn’t like natural yogurt and ate flavoured yoghurt, or added sugar to the natural ones. Obviously, with gestational diabetes, I ceased to be able to eat these kind of yogurts.

It was the right incentive to start making yogurts at home.

And the taste is really something that is educated. Now, I love natural yogurt and the others ones seem overly sweet. The man of the house has yet to surrender to the natural flavor. I could make him sweetened yogurt or with some flavor, but what we choose to do is adding a teaspoon or two of homemade jam, which I always have. He can then eat yogurt flavoured with peach, pear, pumpkin, strawberries, etc... 

All right, so regarding taste, trust me, this are great yogurts. Now at the economic level they’re also great! :)

For the first portion of yogurt, it is necessary to use a store bought yogurt. But it stops there! After that, whenever you make yogurt, you just have to add two tablespoons of the previous yogurt, or even just the serum that breaks free of it. Thus to make one serving of yogurt, you only spend the value of a whole milk package. And I've used several brands and all work well.

Now about values, so you can realize the true savings!

With a litre of whole milk I make 935 grams of yogurt (you lose a bit cream and so...).

Now, store yogurts have 125 grams. 935 divided by 125 gives 7.48, or slightly more than 7 yogurts. Again, from one litre of milk.

The cheapest natural yogurts are around 15/20 cents per yogurt. Using one litre of whole milk for approximately € 0.7, we get yogurts at 10 cents each! And without the waste of packaging!

It is true that I’m not counting the gas spent to boil the milk, but the amount should be negligible. Now with the oven, I don’t spend anything, because it doesn’t need to be on to ferment the yogurt. Just leave it well covered with the blanket.

Enjoy and good savings!


Sunday, 15 November 2015

Sou parecido com quem? | Who do I resemble the most?

A pergunta da praxe!

Eu, acho que o Afonso puxa mais aos meus lados. O pai aos dele, está claro!

Até agora, temos a certeza de duas coisas:

- Tem o queixo da avó materna…
- E o dedo mindinho do pé do pai!

Agora pelo que eu não esperava é que tivesse semelhanças com um certo líder histórico…

É que há um momento, ali mesmo antes de começar a berrar…

Que o Afonso é a cara chapada do Winston Churchill!



Tenho de ir averiguar a linhagem familiar…



That’s the question!

I think Alfonso looks more like me. Daddy thinks he resembles him more, of course!

So far, we are sure of two things:

- He has his maternal grandma’s chin...
- And his father's little toe!

Now, what I did not expect is that he would have similarities to a certain historical leader...

There’s a moment, right there before he starts yelling...

That Afonso is the spitting image of Winston Churchill!


I’ve got to investigate the family lineage...

Friday, 13 November 2015

Cinco mudanças desde que me tornei mãe… | Five changes since I become a mother...



- Perdi o nome. Não sei para onde foi. Já na gravidez o andava a perder. Já não era (sou) Pi, Pipas ou Pipinhas… Sou mãe ou mamã. Na boca dos outros e na minha. Estou feliz com a troca.

- Agora sou fina. Falo de mim própria na 3ª pessoa. A mãe faz! A mãe dá! Pai, olha pelo menino, que a mãe vai tomar um banhinho rápido! (Lá está, a mãe, não aquela Pi que costumava morar nesta casa).

- Vou ficar ambidextra. É uma capacidade interessante. Tenho andado a treinar e qualquer dia até faço filigrana com a mão esquerda! (era de espantar, dado que nem com a direita, mas nunca se sabe…).

- Já não sou molenga à mesa. A família nem vai acreditar quando me virem a almoçar em 5 minutos sem parar a meio para assentar o estômago. E sem esquisitices. Mãe, já não tenho que tirar todas as pelinhas das tangerinas nem barrar o pão com precisão milimétrica!

- Faço telefonemas ao homem para falar de cocó! Geralmente não em exclusivo, mas já aconteceu telefonar só para dizer: “O Afonso fez cocó!” Lindo. E o homem até parece satisfeito com estes telefonemas. Ainda mais lindo.

Alguém se identifica?



- I lost my name. I don’t know where it went. I’ve started loosing it during pregnancy. I’m no longer Pi, Pipas or Pipinhas... I am a mother or mommy. In the mouths of others and mine. I'm pleased with the trade.

- Now I'm posh. I speak of myself in the 3rd person. Mommy handles it! Mommy makes it! Daddy, keep an eye on the baby, mommy’s gonna take a shower! (There again is mommy, not that Pi who used to live in this house).

- I'm getting ambidextrous. It's an interesting capacity. I've been training and soon I guess I’ll even be able to filigree with my left hand! (It would be surprising, as I don’t even know how to do it with my right hand, but you never know...).

- I’m no longer a picky eater. The family won’t believe it when they see me eat lunch in five minutes without stopping halfway to settle the stomach. And without quirks. Mother, I no longer have to take all the thingies out of the mandarins or butter the bread with pinpoint accuracy!

- I call the hubby to talk about poo. Usually not in exclusive, but it has happened to call him just to say: “Afonso pooed!”. Beautiful. And the hubby seems pleased with these calls. Even more beautiful.


Can someone relate?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...